quarta-feira, 20 de maio de 2009

Efeito dos Hormônios da Tireóide nas Cardiopatias

É reconhecida a ação dos hormônios tireóideos sobre a fisiologia de diferentes sistemas do organismo humano. Em artigo publicado na Revista Brasileira de Medicina e disponibilizado pelo site cibersaúde.com os Drs. Stephan Barisic Júnior, Gilka F.Torres Barisic e Brivaldo Markman Filho, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), discorrem em revisão, sobre “ aspectos clínicos e fisiopatológicos envolvidos na influência que a tireóide exerce no desenvolvimento de doenças cardíacas, bem como as possibilidades de tratamento específico para tal condição”. Os autores relatam que tanto hiper quanto hipotireoidismo interferem na freqüência e no surgimento de disritmias cardíacas, que são diretamente ligadas aos níveis de Triodotironina (T3) circulante. No primeiro caso, taquicardia sinusal com freqüência > 90 bpm durante o sono e/ou elevações exageradas em resposta ao exercício é o distúrbio do ritmo mais comum. Também estão presentes extra-sístoles precoces, taquicardia paroxística, flutter e fibrilação atriais. A fibrilação atrial (FA) ocorre em 5% a 20% dos hipertireoideos, sendo prevalente nos homens, acima dos 20 anos, diminuindo gradualmente com o avançar da idade. No hipotireoidismo há uma maior predisposição ao aparecimento de arritmias ventriculares que podem evoluir para maiores complicações. O trabalho versa ainda sobre as alterações na insuficiência cardíaca, na isquemia do miocárdio, nas cirurgias do coração e na hipertensão arterial devido às disfunções hormonais da tireóide. Ao final, concluem que: “As alterações cardiovasculares advindas de tireopatias podem trazer graves conseqüências orgânicas, marcadamente, a influência do T3 sobre o miócito cardíaco favorece o surgimento das mais diversas alterações, com aumento na morbimortalidade”.

http://www.cibersaude.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3320

Nenhum comentário:

Postar um comentário