sexta-feira, 31 de julho de 2009

Suplementos de L-Carnitina Podem Prejudicar Pessoas com Tireóide Hipofuncionante

A L-Carnitina é constituinte de diversas fórmulas emagrecedoras e também de suplementos energéticos para prática de exercícios físicos. De acordo com o Dr. van Heerden, do site health24.com (julho, 2009), a L-Carnitina é uma amina produzida em pequenas quantidades pelos rins e pelo fígado humanos, e estocada em sua maioria nos tecidos musculares. Sua principal função é atuar no metabolismo dos ácidos graxos, transportando suas cadeias longas às mitocôndrias celulares por beta-oxidação auxiliando também no metabolismo da coenzima A. Por estas ações, a carnitina “turbina” a capacidade de exercícios físicos, aumentando exponencialmente a perda de peso. Contudo, cita o médico, na literatura, as referências indicam que nem todas as propriedades atribuídas a L-Carnitina são substanciadas, e no artigo, ele expõe algumas delas. Quanto à tireóide, o autor explica que, a substância atua bloqueando a recepção celular dos hormônios T3 e T4, e que por isto é usada no contra-ataque ao hipertireoidismo. Pessoas com a tireóide sub-ativa (hipotireoidea) ou que por algum motivo foram tireóidectomizadas, que fazem reposição com levotiroxina, terão seus tratamentos prejudicados e, ao invés de perda de peso, poderá inclusive, haver ganhos, tendo em vista a menor ativação dos processos metabólicos propiciados pelos hormônios da tireóide. O médico alerta ainda que atletas que fazem uso de suplementos com a L-Carnitina devem ter sempre sua tireóide checada para acompanhar qualquer alteração em seu funcionamento, e que hipotireoídeos devem consultar rótulos e embalagens de produtos que a contenha, e evitá-los.

http://www.health24.com/dietnfood/Weight_Centre/15-51-2974-2977,51642.asp

Um comentário:

  1. Estudos que remonta aos anos 60, em animais e em seres humanos recentemente sugerem que o aminoácido L-carnitina bloqueia os efeitos da hormona da tiróide em excesso em alguns dos tecidos do corpo. L-carnitina não afeta a glândula tireóide em si, mas efetivamente reduz os sintomas de hipertiroidismo no hipertireoidismo doença auto-imune de Graves. Os principais efeitos de L-carnitina são sobre a actividade da hormona da tiróide. Especificamente, a L-carnitina bloqueia a entrada de hormona da tiróide em excesso para dentro do núcleo da célula de células de fígado, neurónios (células do cérebro e do sistema nervoso central), e, desse modo, reduz significativamente os efeitos associados com hipertiroidismo.

    No geral, os resultados do estudo mostram que a adição de 1-3 gramas de carnitina por via oral diária é uma ferramenta eficaz para reduzir os sintomas de nervosismo sudorese intolerância ao calor, insônia, instabilidade emocional, tremores, e excessiva, no hipertireoidismo. Usado sozinho ou em conjunto com drogas anti-tireoidianas ou medicina alternativa, L-carnitina é uma adição bem-vinda a qualquer programa utilizado para o gerenciamento de hipertireoidismo.

    Efeitos Fisiológicos de L-Carnitina

    Efeitos de L-carnitina estão relacionados com a sua capacidade para inibir a entrada de ambos tiroxina (T4) e triiodothyronne (T3) no núcleo da célula. Isto é importante porque a entrada no núcleo da célula, é essencial para a hormona da tiróide para causar os efeitos comumente associados com hipertiroidismo. Em observações clínicas, a L-carnitina reduz os efeitos de ambos hipertiroidismo ligeiro e sob a forma de hipertiroidismo grave conhecido como tempestade tiróide.

    Estudos mostraram benefícios que começam com a segunda semana de tratamento com 2-4 gramas de L-carnitina por dia, incluindo a redução do tamanho do bócio, I-131 a absorção, os níveis de enzimas do fígado, e uma melhoria nos sintomas oculares, incluindo oftalmopatia. Além disso a L-carnitina possui um efeito benéfico sobre a função muscular, força e mineralização óssea.

    Porque hipertiroidismo esgota o corpo de nutrientes L-carnitina e outros, as doses de L-carnitina tão elevadas como 4 gramas diários não estão associadas com toxicidade teratogenicidade, (efeitos sobre as crias), contra-indicações ou interacções com outros fármacos. Uma substância de ocorrência natural, a L-carnitina é um protector conhecido da função mitocondrial em células do corpo. Estudos de pacientes com hipotiroidismo e hipertiroidismo ambos mostram diminuição dos níveis de L-carnitina nos músculos. Essas deficiências são conhecidos por contribuir para a fadiga muscular em ambas as condições.

    Em um estudo envolvendo 50 pacientes com hipertireoidismo, L-carnitina causou náusea leve em duas pacientes durante a primeira semana de tratamento. Estes sintomas não requerem uma suspensão do tratamento, e que diminuiu dentro de poucos dias. L-carnitina não causaram alterações significativas na contagem de sangue, proteínas séricas, níveis de bilirrubina, níveis de açúcar no sangue ou níveis de química de urina.

    A L-carnitina é melhor absorvido quando usado como um suplemento contendo L-acetil-carnitina. L-acetil-carnitina está disponível em lojas de alimentos naturais, e é eficaz para o tratamento de hipertiroidismo relacionada com a doença de Graves, bócio tóxico, e da utilização excessiva de hormona de substituição da tiróide.

    Recursos:

    Salvatore Benvenga, Rosária Ruggeri, Antonia Russo, Daniela Lapa, Alfredo Campenni e Francesco Trimarchi, Utilidade da L-Carnitina, um antagonista ocorrência natural periférica da ação do hormônio da tireóide, em Hipertireoidismo iatrogênica: um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo . O Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, 86 (8); 201:3579-3594.

    Salvatore Benvenga, Antonino Amato, Menotti Calvani, e Francesco Trimarchi, Efeitos da Carnitina sobre Tireóide Anais hormonal Ação, da New York Academy of Sciences, Nov 2004, 1033:158-167.

    ResponderExcluir